Agostinho Martins Pereira

Máximo Barro



Ilustre professor da Faculdade de Cinema da Fundação Armando Álvares Penteado, historiador, roteirista, autor de livros, pesquisador, Máximo Barro tem uma notável carreira como montador. Foi assistente de produção em O Homem dos Papagaios (1953), de Armando Couto, para se tornar montador de mais 46 fiomes, começando com Se a Cidade Contasse (1954).

Dentre seus trabalhos mais famosos estão muitos filmes de Mazzaropi (Zé do Periquito , As Aventura de Pedro Malazartes, O Corintiano), Fernando de Barros (As cariocas, A Arte de Amar Bem), Walter Hugo Khouri (A Ilha), Rubem Biáfora (O Quarto), Ozualdo Candeias (A Margem, O Vigilante) Roberto Freire (Cléo e Daniel), Silvio de Abreu (A Arvore dos Sexos).

Leciona História do Cinema e Cinema Brasileiro na Facom- FAAP e é membro do Centro de Pesquisadores do Cinema Brasileiro. Entre seus livros destacam-se A Primeira Sessão de Cinema em São Paulo, o Antigo Bairro da Freguesia do Ó, Ipiranga e Caminhos e Descaminhos do Cinema Paulista. Para a Coleção Aplauso já comentou o primeiro roteiro completo brasileiro, O Caçador de Diamantes, de Vittorio Capellaro, e traçou o perfil do ator Sérgio Hingst.


 

  • Seja o primeiro a comentar esse livro!