Ilo Krugli

por Ieda de Abreu

Instalado com seu teatro no tombado Parque do Povo, no bairro paulistano do Itaim, Ilo Krugli, nascido Elias Kruglianski, está no Brasil há mais de 30 anos. Filho de judeus poloneses que imigraram para a Argentina, passou a adolescência em Buenos Aires. Com uma vida plena de aventuras e descobertas, deixou seu país em 1959 e escolheu ficar no Brasil. Anos depois, foi no Rio de Janeiro que o dramaturgo inaugurou uma nova maneira de pensar o teatro, como antes de tudo, uma forma de conhecimento. Tudo começou com o trabalho em educação que realizou na periferia do Méier, Ilo e seu grupo foram para a comunidade e fizeram a festa, na tentativa de eliminar a distância entre quem faz e quem vê. Os espetáculos do Ventoforte sempre abrem em direção ao público, à festa popular. A aventura Teatro Ventoforte é, principalmente, estética. Foi a sua força poética transportada para o palco que introduziu um jeito de conversar com crianças e adultos, circulando com naturalidade nos dois universos. E esse jeito tornou-se um exemplo e uma referência para várias gerações de artistas e educadores. Em meio às circunstâncias políticas e à trajetória pessoal do seu fundador, o Ventoforte surgiu em 1974 como um teatro de resistência. Desde então ganhou todos os prêmios mais importantes do Brasil, do Molière ao APCA. Música, dança, invenções e poesias compõem o teatro desse diretor, dramaturgo, ator, poeta e artista plástico. Em meio a retalhos, sucatas, bordados, bonecos, atores e público, ele vai tecendo o espírito de festa que caracteriza suas apresentações. Quem conta sua história é a jornalista Ieda de Abreu (autora da biografia de Rolando Boldrin e Silnei Siqueira). Mais um lançamento da Coleção Aplauso, da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, no seu trabalho de resgate e preservação da memória cultural brasileira.




Leia!

o livro na íntegra

clique

Baixe!

o livro nos formatos:

PDF

txt

  • Seja o primeiro a comentar esse livro!